Top 5: Séries (2017)

Olá Pretties,

No post de hoje vim falar de 5 séries no qual fiquei curiosa com a sinopse e vim partilhar convosco pois são todas deste ano e por mais que nos custe admitir, férias não são férias sem séries por isso, se vocês são doidos por séries e ficaram completamente desatualizados, tal como eu, preparem as pipocas porque prometo surpreender.

5. In the Dark (Drama)

O enredo passa todo por DI Helen Weeks que se encontra grávida e vê-se obrigada a regressar à cidade natal, Polesford, Derbyshire, no qual odiava junto com detetive Paul assim como o seu companheiro. Duas meninas foram raptadas e o homem preso é casado com a amiga de Helen, Linda Bates. Como resultado, Linda foi arrastada para o centro da tempestade com os media e estando sobre pressão da parte da policia local para conseguir achar o homem. Mas será ele o verdadeiro culpado? E porque é que Helen está tão desesperada para vir em auxílio de Linda, depois de evitar Polesford por todos estes anos?

4. Downward Dog (Comédia|Drama)

A série relata o dia a dia de Nan que é, tal como o seu cão – Martin- disse, cada vez mais solitário e filosófico. Apenas uma sessão na escola obediência torna-los perceber que, mesmo no seu pior, eles podem ser a melhor coisa um para o outro.

3. Riverdale (Drama|Mistério)

Situada no presente, a série oferece uma audaciosa e subversiva tomada de Archie, Betty, Veronica e os seus amigos, explorando a surrealidades da vida na pequena cidade, a escuridão e estranheza borbulhando sob a fachada saudável do Riverdale.

2. The Bold Type (Drama)

Um vislumbre da vida escandalosa e amores dos responsáveis por uma revista feminina globais. As suas lutas são sobre encontrar a sua identidade, gerenciamento de amizades e ter o coração quebrado, tudo ao mesmo tempo vestindo os jeans perfeitos para embelezar qualquer tipo de corpo. Inspirado na vida do editor Cosmopolitan e chefe Joanna Coles.

1. Daytime Divas (Comédia|Drama)

Todos os dias da semana ao meio dia, Maxime, Mo, Healther, Kibby e Nina – anfitriãs do The Lunch Hour, falar das mulheres de longa duração e reunir durante o show em torno de uma mesa para discutir sobre a vida, o amor, política e fofocas. Mas, nos bastidores é ainda mais suculento, por entre lutas de puder, ataques de diva e assuntos picantes. Inspirado num livro de Star Jones, esta série promete.

Espero que tenham gostado do meu top 5. Algumas destas séries estão sendo acompanhadas ao detalhe por mim. Posso dizer que todos os cenários, personagens, bem como a sua personalidade e modo de ser ou estar, vislumbram-me, já para nem falar do enredo em si.

Espero que tenham gostado. Contem – me qual delas vão assistir primeiro? Quais são as séries que estão acompanhar? Porque também quero (muito!!) assistir.

Beijokas!

🙂

 

Série: 13 Reasons Why

Olá Pretties,

O post de hoje é muito especial para mim. Vim falar-vos da série que tenho visto durante estas duas últimas semana, a tão polémica (e conhecida) 13 Reasons Why.

Vou confessar que com a vida académica tenho andado desatualizada deste mundo das séries mas, eis que estou em período de interrupção letiva então decidi ver uma série porque não há nada de interessante para fazer. Até que, descobri esta série que toda a gente estava a falar nas redes sociais e fiquei curiosa. Quando li a sinopse e dei de conta que o género que se enquadrava era mistério, fiquei um pouco de pé atrás mas, mesmo assim, uma parte de mim dizia que deveria assistir e assim o fiz. Nunca fui dada a mistérios mas, devo dizer-vos que fiquei rendida.

Sem grande spoiler, esta série relata os acontecimentos da vida de Hannah Baker e as causas que levaram ao seu suicídio. Antes de morrer, Hannah gravou um conjunto de 13 cassetes que explicavam as 13 razões pela qual cometeu a sua morte, cada episódio corresponde a uma cassete e nelas estão todas as pessoas que agiram de tal forma incorreta para com ela que a fez acabar com a sua própria vida.

O mais interessante é que, depois de começarem a ver, sente-se de tal forma aliciados para saber mais e mais sobre os “porquês” da sua morte e, tudo isto relatado na primeira pessoa e onde é feita uma distinção entre quando Hannah era viva e depois da sua morte.

O momento que mais me marcou em toda esta série foi, sem dúvida, o episódio 11 correspondente à cassete 11, a fita do Clay. Eu emocionei-me com este episódio, aliás, quem já chegou a este episódio deve, certamente, ter-se emocionado. É o melhor episódio de toda a série, acreditem! E porquê que este momento me marcou? Porque com ele vem vários ensinamentos.

13 reasons why, hannah baker, and clay jensen image

Como já devem ter notado, caso estejam a acompanhar a série, Clay é um rapaz muito tímido e desde o primeiro dia que viu Hannah, apaixonou-se mas, nunca teve a oportunidade de dizer, ou melhor, até teve mas nunca o fez. E esta imagem acima, faz-nos parar e pensar. A primeira lição (e a principal) é “não deixes para amanhã o que podes fazer hoje porque o amanhã pode ser tarde demais”. A segunda é “se gostas de alguém diz-lhe”. E eu, sendo a romântica que sou, sem dúvida, que esta cena mexeu de uma forma q.b. comigo e com o meu coraçãozinho.

Na minha opinião, isto falando ainda no capítulo 11, o Clay não foi um dos responsáveis pela morte de Hannah, ela só gravou esta fita para admitir que o sentimento por ele era recíproco e para admitir que ele a desapontou. Mesmo assim, segundo a minha interpretação, ele foi sempre humilde e sincero com ela, sempre a quis proteger, estava apaixonado por Hannah Baker e não acho que ele seja um dos culpados por tal acontecimento, aliás, foi a Hannah que escolheu acabar com a sua própria vida.

Esta série tem um propósito, não encaminhar os jovens a por fim à vida como solução para todo o sofrimento mas, sim, alertar aos pais, aos filhos e à comunidade que há outras soluções para além da morte e que, principalmente, os pais e restante comunidade em que o jovem se envolve fiquem atentos aos sinais de bullying dos jovens e que procurem ajudar de alguma forma para minimizar a perda de vidas através do suicídio. Sem esquecer que, com esta série, os jovens podem estar mais atentos e que devem procurar ajuda assim como conter as palavras e as atitudes porque o que para nós é uma brincadeira, para os outros pode causar um certo desconforto e uma certa angústia/aflição pois nem todos somos iguais, nem todos agimos da mesma foram, nem todos somos fortes psicologicamente.

Procurar ajuda é o principal ensinamento desta série e não encarar o suicídio como a opção de por fim à dor.

E o final da série termina com esta música e eu achei terminar este post também com ela:

Recomendo que assistam esta série, é mesmo a melhor que já vi, esqueçam Pretty Little Liars ou Walking Dad porque esta é A SÉRIE!!

Beijokas!

 ♥